A navegação à vela trouxe bastante lições para a vida de Marina Klink e de sua família. Dentre os principais ensinamentos ela cita a “humildade e segurança para escolher o destino” e que “os obstáculos não devem paralisar, mas servirem de motor para melhorar”. As lições do esporte no mar vão diretamente de encontro com a forma de encarar os desafios cotidianos da vida. Marina Klink é profissional na área de produção de eventos há mais de 30 anos. Ela é esposa de Amyr Klink, um dos mais renomados navegadores do Brasil. Marina ainda é fotógrafa, escritora, palestrante e empresária. Dentre seus livros estão: “Antarctica - Olhar Nômade” e “Antártica - A Última Fronteira”. Tanto Marina quanto Amyr palestram no Brasil e no exterior traçando um paralelo entre suas experiências no mar e a relação dessas atividades com planejamento, motivação, trabalho em equipe, liderança e empreendedorismo. Neste bate-papo com Edgar Ueda para o canal TurnAround ela fala sobre todos os ensinamentos de evolução que a navegação à vela pode trazer para a vida das pessoas.

Edgar Ueda: Marina, você falou que as pessoas têm que tomar decisões que afetam o seu destino. Você citou que seus pais lhe ensinaram a velejar e que ali você teria que tomar decisões que te levassem para determinados lugares. O que isso influenciou no que você é hoje?

Marina Klink: A Vela é um esporte que acrescenta muita segurança no jovem. É um esporte de baixo risco, que você depende das condições climáticas, ou seja, você depende de uma natureza que soberana. Você pode mudar o seu rumo, mas tem que aceitar as condições que podem ser uma mudança de vento, corrente do mar mais forte, um objeto estranho flutuando ou até mesmo salvar uma pessoa que precisa da sua ajuda. Também é um esporte solidário onde você tem que ser humilde diante da natureza e ter segurança na escolha do seu caminho. Quando você entra na Vela como um esporte competitivo o maior aprendizado é saber ganhar e saber perder. Sabe que naquele dia você não foi bem, mas da próxima vez procura ser melhor. Isso vai te formando com algumas características que acabam sendo usadas na vida adulta, que é ter humildade, mas ter segurança para escolher o destino e saber perder, que faz parte do jogo da vida. Isso faz você entender que pode melhorar. Esse é um aprendizado que a Vela te dá.

Edgar Ueda: Qual foi o seu grande momento de virada, o seu TurnAround?

Marina Klink: Tive dois momentos de TurnAround. O primeiro foi numa festinha de escola do Dia dos Pais. O Amyr não foi e eu fui representando ele. Uma das minhas três filhas fez a lembrancinha pro pai e na hora entrega ela ficou parada no centro do pátio da escola e não veio em minha direção. Ela disse que não entregaria aquele presente pois era pro pai ter ido buscar. Aquilo foi tão tocante que eu decidi fazer com que a Antártica, que era o lugar que o Amyr estava aquele dia, deixasse de ser uma vilã e passasse a ser uma aliada. Quando o Amyr chegou de viagem eu disse que apoiava ele em tudo e queria que ele viajasse cada vez mais, porém, na próxima vez, a família iria inteira com ele. Ele se surpreendeu, minha família achou que eu estava ficando louca. Ninguém acreditava. Tomei uma decisão, assumi os riscos e paguei o preço. Coloquei as três meninas no barco, preparei tudo e no verão seguinte a gente foi junto pra Antártica. Essa viagem foi transformadora para todos nós.

Edgar Ueda: Numa das matérias que li você fala de ancoragem e alavancagem. Dentro da sua organização ou empresa você pode ter pessoas que te alavancam e que vão te ancorar de fato. Como tomar cuidado com pessoas que ancoram a vida das outras?

Marina Klink: Existem muitas perspectivas diferentes de a gente ver a vida. Entendo que a vida é essa, é uma só e a gente tem que viver de uma maneira leve. Temos que escolher fazer algo que a gente goste. Escolher uma profissão que nos faça feliz. O dinheiro vai ser uma consequência. Não temos que trabalhar para ganhar e sim trabalhar naquilo que a gente gosta e, inclusive, vai ganhar. Penso que existem muitas maneiras de lidar com as pessoas. A primeira delas é dar espaço, cada um vai ser o que é. Dentro do barco aprendemos muito isso. É impossível fazer uma viagem sem conhecer a pessoa que está do seu lado. Você pode até fazer achando que está com um amigo e ao longo da viagem perceber que essa pessoa não é tão seu amigo assim. O espaço dentro de um barco é muito restrito e não dá pra usar máscara muito tempo. Tanto na vida pessoal quanto na vida profissional eu dou espaço. O Amyr está sempre viajando, ou ele faz grandes projetos ou viagens curtas. Sei quem ele é e sei que posso contar com ele e confiar. Nunca vou esperar ele voltar pra casa pra consertar um carro, arrumar um chuveiro ou uma porta. Às vezes ele demora dois anos viajando, dando a volta ao mundo. Já aconteceu dele retornar e eu já ter reformado a casa inteira ou então ter mudado. Nesse ambiente de dar espaço meu relacionamento com as pessoas é como se fosse um passarinho numa gaiola. Todo mundo está dentro de gaiolinhas, mas eu sempre deixo a porta aberta. Se ela quer vir, ela vem, se ela quiser ir embora, ela vai. Tem liberdade para entrar e sair. Assim é a minha vida. Isso fez com que o Amyr se interessasse por mim, por conta desse espaço que eu dou. As pessoas devem ser assim com seus relacionamentos. Se outro quiser voltar, ele vai voltar.

Edgar Ueda: Pra finalizar deixe um recado de motivação e inspiração.

Marina Klink: É muito comum que a gente encontre muitos obstáculos no dia a dia, mas temos que olhar pra eles como metas a serem superadas e não obstáculos que façam com que a gente se paralise. Então ao invés de ver um obstáculo como um agente paralisador vamos olhar esse obstáculo como um grande motor. Vamos seguir adiante realizando os nossos sonhos.

Quer sempre ficar atualizado sobre o TurnAround de pessoas de sucesso e ainda receber conteúdo transformador? Inscreva-se agora no canal do Edgar Ueda no YouTube (https://goo.gl/RYn5LW), ative o sininho e você sempre terá informações de como mudar a sua vida. O link para assistir a essa entrevista completa é: https://youtu.be/0HQ61r-h3Oo



Website: http://www.edgarueda.com.br