O ar quente das ruas parecem ainda pior nesse horário de verão. Diante do calor infernal, na interminável epopeia de volta para casa, você não é tentado constantemente pela grande sede de viver? Em meio à crise econômica, que elevou o preço da cerveja às alturas, onde é possível beber bem e pagar pouco? Traçamos alguns lugares que podem te ajudar a refrescar a alma na happy hour maringaenses e, no dia seguinte, não morrer de arrependimento.

Budega
Com uma das cervejas mais em conta da cidade, o boteco é perfeito para ir de litrão, pedindo Itaipava (R$ 5,50) ou Antarctica Sub Zero (R$ 5,50). As garrafas de 600 ml de Itaipava (R$ 5) e Sub Zero (R$ 5) nem compensam. O mesmo vale para o litrão de Brahma (R$ 6,50) ou Skol (R$ 6). Há 15 dias sob nova direção, o bar, por enquanto, não oferece nada para comer. Mesmo assim, ninguém passa fome. A galera acaba pedindo um dos acepipes da Pastelaria 76 Sabores, bendita vizinha gastronômica da Budega. Além dos sabores tradicionais, a 76 Sabores prepara pastéis com ragu de costela com cachaça e cebola caramelizada (R$ 10) e alcatra acebolada com pimentão amarelo (R$ 10). Onde: Avenida Mandacaru, 1.811, Parque das Laranjeiras. Quando: segunda a sexta: 9h às 23h. Sexta e sábado: 9h à 0h. Domingo: “horário meio que varia”.

Spetinho & Petiscaria Mauá
Alguns boêmios já chegam agradecendo a figuras celestiais. Felizmente, ainda é possível encontrar chope pilsen a R$ 2,99 (300 ml). Dividindo terreno com um lava-jato, o Mauá não se limita às canecas geladíssimas de chope Colônia. Litrão de Sub Zero (R$ 5), Skol (R$ 6) e Brahma (R$ 6,50) também falam alto na happy hour. Para salgar o verbo, espetinhos de medalhão (R$ 4) e picanha (R$ 8). Onde: Avenida Mauá, 1959, Zona 1. Quando: segunda a sábado: 7h às 22h.

Afonso’s
Pertinho da UEM, o boteco há anos mantém a fama de servir uma das cervejas mais baratas da cidade. Por lá, todo mundo vai de litrão de Sub Zero (R$ 5,50), Skol (R$ 6) ou Brahma (R$ 6,50). Quem quiser ostentar pode se regalar com o litrão de Budweiser (R$ 9,50). Para os boêmios que não abrem mão da garrafa de 600 ml - há justificativas políticas, emocionais e, sobretudo, filosóficas sobre isso -, a dica é ficar com a Antarctica SubZero (R$ 4), Brahma (R$ 6) e a Skol (R$ 5,50) chegam à mesa um pouco mais caras. Para comer, pegue um dos seis tipos de espetinhos, que oscilam de R$ 4 (carne) a R$ 5,50 (costela), e mande bala: sua happy hour estará garantida. Onde: Rua Paranaguá, 124, Zona 7. Quando: segunda a sexta: 17h à 0h. Sábado: 11h às 22h30. Tel: 3262-8570.

Hangar
Ex-proprietário do lendário Kanarinhu’s, na Zona 7, o empresário Antonio Vaine, 60, comanda há sete anos o seu Hangar. Num climão sem frescuras, o boteco oferece cervejas de 600 ml a partir de R$ 4 (Antarctica Sub Zero). Dez entre dez mesas vão de litrão de Subzero (R$ 5,50), Skol (R$ 6) ou Brahma (R$ 6,50). A porção de costelinha de porco, “com 1 kg e cacetada de carne” - segundo Vaine - serve até quatro pessoas. Os espetinhos variam de R$ 3, 70 (pão de alho) a R$ 7,50 (carneiro). Onde: Avenida Mauá, 259, Vila Operária. Quando: terça a sábado: 16h à 0h. Tel: 3024-2297.

Escritório Bar
As cervejas do bar não são tão em conta quanto as dos outros botecos. Mas o Escritório entra na lista pelas tentadoras promoções diárias. Da hora em que escancara as portas ao fechamento da última conta, as caipirinhas (vodka Smirnoff ou cachaça Velho Barreiro) e tequilas (José Cuervo) são oferecidas em dobro (R$ 11,90): você paga pela primeira e a segunda é por conta da casa. Se a fome bater, vá de lanche Big Pig (R$ 9,90), preparado com pão francês, pernil de porco e vinagrete. Onde: Avenida Brasil, 1635, Vila Operária. Quando: terça a quinta: 17h15 à 0h. Sexta e sábado: 17h15 às 2h. Domingo: 17h à 0h. Telefone: 3031-1300.



 

VEJA TAMBÉM