As prostitutas goianas, segundo uma lenda urbana, tinham de preparar suas refeições após o expediente, ainda nos bordéis, e aproveitavam para misturar as sobras de comida que restavam na geladeira.

Numa noite, a cafetina teria teria acrescentado à mistura de suas funcionárias um bocado de açafrão, pedaços de frango, costelinha, calabresa e legumes. Essa teria sido a origem do tal "arroz de puta rica".

No Boteco do Neco, o acepipe ganha uma suavidade do diminutivo, batizado de "marmitinha de puta rica" (R$ 34,90), e é servido em porção individual, com calabresa, coxa de frango, bacon, costelinha de porco, milho, ervilha e açafrão.

"Com temperos especiais e boas doses de criatividade, nosso cardápio faz uma releitura contemporânea da comida caseira", observa Deborah Kemmer, proprietária do Boteco do Neco.

BOTECO DO NECO
Onde Av. Tiradentes, 133, Zona 1
Telefone 3269-1588

Divulgação
"Marmitinha de puta rica": prato foi inspirado em lenda urbana goiana

 

VEJA TAMBÉM