O Tribo´s não é só um bar. É um foco de resistência do rock independente, sempre exilado dos meios de comunicação de massa. É o ponto de encontro predileto dos roqueiros, metaleiros, indies e outras tribos que preferem manter distância do pagode e do sertanejo. Por lá, fique atento aos shows da noite. O estilo musical varia de acordo com as atrações: há o dia do metal, o dia do hardrock, do indie rock. Todos são bem vindos no bar, exceto o cantor e compositor Otto. Em 1999, ele tomou uma garrafa inteira de uísque Johnnie Walker e deixou o bar sem pagar a conta.

Com mesinhas de plástico nas áreas externa e interna, se você não gostar de um show, basta buscar refúgio nas cadeiras, sem visão para o palco. Por lá, shows históricos já marcaram a trajetória da casa, como Matanza, Ratos de Porão e Móveis Coloniais de Acaju. Num dos momentos maiz bizarros, o vocalista da banda de rock Ludovic, de São Paulo, debateu-se diversas vezes contra o palco, cuspiu cerveja na cara de seu companheiro de banda e desceu do palco à procura de uma cadeira de plástico.

Ao encontrá-la, levou o objeto para cima do balco e se enfiou debaixo dela, agachado, como se estivesse preso, agoniado, e continuou a cantar. Performático, ele largou o microfone no palco, durante um solo de guitarra, saiu correndo pelo bar e regressou como se nada houvesse acontecido: inusitadas histórias do rock.

Desde 1996, o Tribo´s faz 13 coquetéis e 21 drinques. A mais diferente é a dose de kissifoda (R$1,50). Carinhosamente nomeada dessa forma, a bebida faz jus ao que é, composta por conhaque, cachaça, vodka e molho de pimenta.

Prato
Serviços
  • Música ao vivo
  • Bar
  • Acesso / facilidades para cadeirantes
Formas de pagamento
  • Cheque
Endereço e contato
  • Avenida Cerro Azul, 628, Zona 02, Fone: (44)3029-0469
  • Facebook
  • Site